Terrorista que matou 50 pessoas em boate LGBT era homossexual

O terrorista Omar Mateen, que matou 50 pessoas e feriu outras 53 em uma boate LGBT na cidade de Orlando, Flórida, além de ser muçulmano e filiado ativo do Partido Democrata, o principal partido de esquerda dos Estados Unidos, também era homossexual.

A grande estratégia da mídia manipuladora e movimentos LGBTs é colocar os homossexuais contras os heterossexuais, insuflando-lhes ódio, para fins políticos e ideológicos 

O terrorista foi morto em um tiroteio com forças policiais às 5 da manhã deste domingo (12). Ele estava armado com um rifle de assalto, uma pistola e um “dispositivo suspeito”, possivelmente um explosivo, e chegou a fazer reféns entre as mais de 300 pessoas que estavam na boate, dado que havia apenas um segurança armado no local.

Omar morava na cidade de Fort Piece, o que o fez alugar um carro e viajar 200 quilômetros até Orlando para cometer o ato terrorista. A boate onde aconteceu a tragédia, a Pulse, era uma “gun free zone” (local onde a entrada de armas é proibida).

A homossexualidade do atirador

De acordo com funcionários da boate Pulse, onde ocorreu o atentado, Omar era frequentador assíduo da boate e teve que ser expulso da mesma por diversas vezes por mau comportamento. 

Um amigo de Omar informou que o terrorista frequentava boates LGBT desde 2006 e que chegou a “ir a alguns bares gays com ele”. Uma das performistas na boate, Chris Callen, confirmou que viu Omar “várias vezes na Pulse e muitas outras pessoas o viram também”.

Além disso, Omar também utilizava o Jack’d, um aplicativo para buscar parceiros para encontros homossexuais, de acordo com as buscas feitas no celular do terrorista pelo FBI.

Estes fatos não são muito divulgados pelas mídias tradicionais pelo fato das mesmas serem favoráveis as causas LGBTs, pois usaram esta noticia de imediato como bandeira contra o preconceito mesmo antes de saberem os verdadeiros motivos do assassino.

Varias manifestações foram realizadas no Brasil e diversas partes do mundo, organizadas pelos movimentos LGBTs, usando o lamentável massacre como se o assassino fosse um heterossexual homofóbico, mas conforme as  investigações começaram a andar, se constatou que o atirador era também homossexual.

A grande estratégia da mídia manipuladora e movimentos LGBTs é colocar os homossexuais contras os heterossexuais, insuflando-lhes ódio, os fazendo acreditar que a maior razão de suas desgraças vem do preconceito originados pelos heterossexuais.

Puro engano e manobra, pois o fato é que os homossexuais são muito mais agredidos e mortos pelos próprios homossexuais, por suas próprias brigas e disputas, obvio que existem heteros que são homofóbicos, porem as estatísticas concluem que o numero de homicídios de homossexuais causado pelos próprios homossexuais é bem maior do que os causados pelos heterossexuais. Este caso lamentável em Orlando é apenas um exemplo disso.

É fato também que noticias manipuladas como esta imediatamente servem de palanque para fins revolucionários e políticos, sobretudo para a turma Jean Willys, PSOL, PT, GGB, ABGLT e LGBT.

Veja mais sobre como as estatísticas são manipuladas Clique aqui.

A ex-mulher

O terrorista já foi casado com uma mulher chamada Sitora Yusifiy,  a ex-mulher do atirador de Orlando afirmou que ele era “instável e perturbado”. 

Sitora Yusifiy disse que, pouco depois de se casar com Omar Mateen, percebeu que ele era “bipolar e ficava zangado por qualquer coisa”.

Sitora Yusifiy, que foi casada com Omar Mateen, afirmou que era agredida com frequência pelo ex-marido (Foto: Autumn Parry/Daily Camera/AP)Sitora Yusifiy, que foi casada com Omar Mateen, afirmou que era agredida com frequência pelo ex-marido (Foto: Autumn Parry/Daily Camera/AP)

Ela também contou que era agredida com frequência.

“Foi quando comecei a me preocupar com a minha segurança. Ele não me permitia falar com a minha família, me isolou deles”, disse.

“Mas minha família estava sintonizado com o que estava acontecendo comigo, e decidiu me salvar dessa situação”.

Segundo Sitora, Mateen era “mentalmente instável e mentalmente doente”.

“Essa era a única explicação que eu tenho para o que aconteceu: ele era obviamente perturbado”.

FBI

O FBI diz que o homem de 29 anos morto pela polícia aparentemente “tinha inclinação” para a ideologia islâmica radical, embora ainda não esteja claro se o ataque terrorista esteve ligado à ação de algum grupo estrangeiro.

O que ainda não foi esclarecido pelo FBI é que se eles sabiam dessa “inclinação” do terrorista para o islamismo radical, porque não tomaram nenhuma ação preventiva que pudesse impedir tal massacre?

Fontes:

1-http://www.ilisp.org/noticias/terrorista-que-matou-50-pessoas-em-boate-lgbt-era-homossexual/

2-http://www.ilisp.org/noticias/terrorista-de-orlando-era-muculmano-de-esquerda-e-viajou-200-kms-ate-boate-gun-free/

3-http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/ex-mulher-diz-que-atirador-de-orlando-e-instavel-e-perturbado.html

4-http://defesa-hetero.blogspot.com.br/2011/09/e-gay-que-mata-gay-dizem-os-proprios.html#.V2BZbt9OI_Q

5-http://gaysdedireita.blogspot.com.br/

6-http://gaysdedireita.blogspot.com.br/2010/03/crimes-homofobicos.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *